Relato de Parto Vale Canela Verani – Nascimento Romeo

Vale e Nei são pais do Dante, nascido em um lindo parto domiciliar em janeiro de 2014. Em outubro de 2017 receberam também em um lindo parto domiciliar, Romeo. Foi um parto maravilhoso, e é sempre uma honra imensa presenciar e registrar estes momentos.

Segue o relato de parto da Vale:

As surpresas do dia do Parto

Nei fala que eu tenho o metabolismo lento… tipo dois batimentos por dia. E deve ter algo de certo nisso, pois de fato, somente após um tempo de ter vivido algo é que eu consigo assimilar e ter certeza do que vivi. Dia 8 de Outubro de 2017 às 23:38 após quase 20 horas de ter rompido a bolsa já sentindo o incomodo das primeiras contrações do que seria a estreia de Romeo na vida, foi que ele nasceu… num lindo, íntimo e intenso parto domiciliar. Nosso círculo foi poderoso… meu altar com toda a simbologia do que me é importante e acredito na vida… músicas escolhidas, o sentimento e sensação e um grupo de mulheres poderosas, sabias , sensíveis que fazem parte de minha vida: Naoli, bruxa das parteiras, maravilhosa e sabia… conhece o parto como a si mesma… Mayra minha linda e sabia parteira cuidadosa, serena e discreta… Giulia minha amiga, mistura de fada com forte instinto maternal (aquela que tem o dom de cuidar) e Maira minha amiga e fotógrafa que imprimiu com naturalidade e muita sensibilidade este maravilhoso instante de nossas vidas para assim ficar registrado de forma palpável… e claro , Nei pai e marido presente, que sempre que precisei se colocou como pilar onde podia desabar e confiar. Voltando para dia 7, Dante foi dormir na casa da Vó para termos o que esperávamos uma noite tranquila, com direito a seriados ou filmes…, mas… a 1:00 da madrugada do dia 8 fomos surpreendidos pela ligação da Ana avisando que Dante não estava bem. Buscamos ele e às 2:30 estávamos no hospital fazendo exames de sangue nele com diagnostico de caxumba, às 4:30 o resultado estaria pronto, voltamos para casa e as 4:15 assim que o despertador tocou para irmos ao hospital minha bolsa estourou…

A chegada da Equipe

Pela manhã Naoli, Mai e Giu chegaram… contrações nada ritmadas, porém doloridas… espaço em média de 7 minutos com algumas exceções… eu ainda preocupada com Dante e sem dormir estava muito apreensiva e na expectativa de que nascesse logo, afinal sempre ouvi que o segundo é mais rápido… Naoli… muito consciente e conectada sugeriu para cada um voltar para sua casa e a gente descansar e relaxar, uma vez que Dante foi pela manhã para casa da Vó passar uma semana de férias pelo dia das crianças!

O amor pelo Puff da Naoli

Assim durante o dia tive um caso de amor sério com o puff desenhado para partos pela Naoli… era um grande colo confortável! Tive a oportunidade de curtir a casa no clima preparado para o parto (o que me fugiu da vez anterior quando Dante chegou) curti a música, meu altar, as palavras que minhas amigas e mulheres de minha vida me dedicaram, comi muito durante todo o tp… dormia e gemia… as dores aumentavam mas muito desritmada ainda… falei com Mayra que acabara de sair de um outro nascimento… ” Vale, bora caminhar para esse tp engrenar! Caminha e depois banho quente!” E assim foi feito. Nei e eu saímos para caminhar ele me dando o apoio necessário e parando comigo a cada contração, chegamos e fui tomar um banho quente apoiada na bola de pilates, deixava a água torrando minha lombar… me dava muito alívio… Em seguida o bicho começou a dar as caras… mais dor , menor o intervalo, ainda não totalmente ritmado… dentro de mim existia uma cobrança para o tp ser mais rápido, meu receio era estar simplesmente em pródomos e não ser o dia ainda, daí aprendi que, como Naoli falou ” isto aqui é tempo de índio” ou seja, tudo será na hora que tem que ser…dançamos ou tentei dançar vai…

O retorno da Equipe e decisões importantes

21 horas a equipe chegou…  E eu já não estava conseguindo sorrir muito… desta vez pedi para avaliarem a dilatação que ainda estava em 2 dedos e eu já me sentia muito cansada… Naoli me informou que meu colo estava retrovertido, motivo pelo qual a pressão não ia onde precisava ir e por isso ficar de 4 me trazia muito alivio e pouco ajudava… perguntou e pediu licença para fazer uma manobra para ajudar a posição do colo, assim como a dilatação, e eu claro queria que o tp engrenasse e meu filho nascesse logo! Doeu? Ooo sim! Mas engrenou!

O grande momento

Daí para frente a intensidade surgiu junto à dilatação. Fui para a banheira, água gostosa e quentinha…As dores aumentaram e muito… senti um certo desespero e medo… queria fugir sair de meu corpo… ao mesmo tempo sabia que ainda tinha mais a fazer… May e Naoli sempre presentes e muito amorosas, Giu assoprava minha testa, era vida! Nei atrás de mim e eu agarrada nos braços dele… de repente … pedi o balde… comecei a vomitar de dor…. De repente senti uma vontade de fazer força e perguntei se isso estava certo a final em minha cabeça a dilatação estava lenta… e elas me confirmaram que estava indo tudo muito bem! Então foi aí que tive o presente de algo que se chama consciência corporal, comecei a sentir a cabecinha de Romeo descer pelo canal vaginal, muito doido isso, a cada contração eu fazia força e sentia ele avançar… a dor diminuiu, a emoção aumentou. Senti quando o cabelinho dele já começara a aparecer, isto me trouxe muita força. Descobri que no parto, precisei ir a um lugar de muito poder e valor dentro de mim, como quando o guerreiro se lança ao ataque naquela batalha onde ele tem um só objetivo em mente e coração, e assim com consciência e fortaleça fiz as últimas forças para meu pequeno nascer! O segurei em minhas mãos e ele calmamente veio para meu peito, logo após deu as primeiras mamadas sabendo muito bem como fazer! A atmosfera era de amor e serenidade, tudo tão íntimo e amoroso! Nosso pequeno estava com nó verdadeiro (acontece em pouquíssimos casos, não tem como detectar e pode levar ao óbito do feto) mas mesmo assim a Vida se confirmou, é tudo tão relativo que de esta vez a vida mostrou que o medo também é ilusão. O APGAR dele foi 9/10 e estava tudo ótimo! Não tive laceração, no dia seguinte estava muito cansada, mas em menos de uma semana estava quase 100%. Com os filhos aprendo todo dia… até o aprendizado mais difícil vem com amor, a gente sai da zona de conforto por algo maior , graças a ser mãe tenho olhado minhas feridas de menina, reconheço o amor que foi dado na infância de uma forma muito mais profunda e com muita gratidão… por vocês Dante e Romeo farei o meu melhor !

Com amor Valentina

Deixe seu comentário
Eu acredito no poder transformador da fotografia, registrar partos é muito mais do que congelar aquele momento maravilhoso na vida de uma família, é eternizar o amor!
MEU BLOG MINHA GALERIA

Informações do nascimento

Local: Florianópolis / SC

Data: 8/10/2017

Profissionais:
Giulia Zanettini - doulaMaira Reif - fotógrafaMayra Calvette - enfermeira obstetraNaolí Vinaver - parteira

Família:
Nei Pelizzon - pai
Vale Canela Verani - mãe
Dante - irmão