Relato de Parto Irene Moltini – Nascimento do Ravi

Irene tem 18 anos. Pariu no SUS, sem intervenções e com respeito, um bebê de mais de 41 semanas de gestação, pesando quase 5 kg. Este relato é um presente! Muito respeito e gratidão à essa mulher forte, generosa e cheia de autonomia. 

Segue o relato de parto da Irene.

Medo e ansiedade

Eu tinha medo de não entrar em trabalho de parto porque todo dia eu dormia pedindo pra acordar com contrações e todo dia eu acordava decepcionada. Quando completamos 40 semanas, tive que fazer alguns exames para ver se estava tudo bem com o Ravi e aproveitamos para fazer um exame de toque. Surpresa! 4-5 cm de dilatação sem dor nenhuma e, coincidentemente, comecei a perder o tampão na hora, porém nada de trabalho de parto.

Uma semana passou, completamos 41 semanas, e o tampão continuava saindo. Mas a essa altura do campeonato, a ansiedade começava a bater e toda hora eu enviava mensagem para a minha doula, Krys Rodrigues.

O trabalho de parto em casa

Dia 11, quarta-feira, 41 semanas + 3 dias, acordei às 5:30min da manhã e não consegui mais dormir.  Comecei a sentir leves dores, que, de vez em quando, chegavam a incomodar. Chamei minha doula. 30min depois ela chegou com a Larissa Rocha, acupunturista, as contrações já de cinco em cinco minutos. Procurei deixar de lado meu medo de não conseguir (Larissa e sua sessão de acupuntura me ajudaram muito). Duas horas depois quando a enfermeira Paula Carrion chegou, eu já estava com 8cm. Meu marido, Pedro, esteve do meu lado o tempo todo, confesso que achei que ele ficaria mais nervoso que eu, mas ele foi super calmo e me passou muita confiança. Um dos maiores aliados durante as contrações foi o chuveiro elétrico, quando tive que mudar de posição fiquei desesperada, sem saber o que iria acontecer.

Desde o começo da gravidez planejei fotografar meu parto, queria materializar esse momento único, eu sabia que seria uma superação e queria ter essa lembrança materializada, queria poder compartilhar a alegria que é parir com pessoas que na hora não estavam presentes. Quando a Roberta chegou, eu já me sentia um bicho (semanas antes eu pensava em fazer a sobrancelha, arrumar os cabelos, escolher uma roupa bonita. NADA disso aconteceu). Parto é entrega, não adianta planejar.

Ida à Maternidade

Deitei na cama, mantendo sempre o foco na respiração, e alguns minutos depois repetimos o toque. 9cm e… a bolsa estourou!!!!! Levantei da cama contra a minha vontade, tudo o que eu queria era ficar deitada ali e parir ali mesmo, mas arrumamos tudo e fomos para o hospital. Confesso que o caminho até o carro e do carro até o hospital foi desesperador!!!!!!

A chegada do Ravi

Cheguei lá no expulsivo. Quando entrei no leito, a coisa que eu mais desejava era uma anestesia, mas a equipe maravilhosa que estava comigo me deu força e apoio. Sentei na banqueta já colocando força, em 30min o Ravi nasceu, pesando 4.946kg e medindo 54cm! Ninguém esperava um neném tão grande, quando ele nasceu, demorou alguns segundos pra chorar e cortar logo o cordão umbilical foi uma necessidade, graças a Deus não pari na minha cama.

Passei a gravidez me perguntando se iria conseguir ter meu parto, e no final, tive meu parto normal respeitoso no SUS, com duração de 6h. Hoje, revendo as imagens da Roberta, percebo o quanto elas são importantes, é difícil acreditar que consegui tudo o que planejei.

Gratidão à minha equipe maravilhosa e ao meu marido por me apoiar, incentivar e aconselhar em um momento tão lindo e desafiador que é parir! Só tenho a agradecer.

 

Deixe seu comentário
"Tem gente que nasce poesia". Meu ofício é preservar a memória afetiva, é escrever com luz uma história sagrada, a poesia de cada nascimento.
MEU BLOG MINHA GALERIA

Informações do nascimento

Local: Fortaleza / AC

Data: 11/10/2017

Profissionais:
Krys Rodrigues - doulaLarissa Rocha - acupunturistaPaula Carrion - enfermeira obstétrica

Família:
Irene Moltini - Mãe
Pedro Resende - Pai