Alterar foto de capa
Alterar foto de capa
A Luminascer nasceu de duas Robertas para captar a força da mulher, a beleza do nascimento e contar histórias que emocionam.
Este status da conta do usuário é Approved

This user has not added any information to their profile yet.

Campinas
SP
Fotografia
Parto domiciliar, Parto hospitalar, Cesárea agendada
Gestação, Nascimento, Recém nascido, Festa de aniversário, Família
Não
Logo empresa
Luminascer Fotografia

Roberta Urbano

Em 2019 participei o Worskhop de Fotografia de parto do Além D'Ollhar

Fale com Roberta


Sobre Roberta Ruela

Sou uma das Robertas Luminascer Fotografia. Sou nascida em Campinas e vivida em vários lugares do mundo. Sou bióloga, cientista mas meu lado artístico estava sempre presente completando meu jeito de ser, seja nas artes plásticas, seja na fotografia.

A fotografia sempre esteve presente em minha vida com registros dos lugares que passei, mas foi em um cenário maravilho que a fotografia passou de registro para poesia. Na Holanda, inspirada por pintores como Rembrandt e van Gogh, pelas cores das flores, das tulipas, comecei a estudar fotografia, luz, composição, técnicas e perspectivas. Finais de semanas eram dias para treinar e fotografar tudo naquela pequena cidade de Groningen no norte da Holanda, com seus canais, parques, torres e moinhos. Mas mesmo com um cenário maravilhoso, com uma câmera DSL, ainda faltava alguma coisa em minhas fotos.

Voltei para o Brasil em 2011, casei e em 2014 nasceu meu primeiro filho, o Murilo. Foi quando conheci e mergulhei no mundo parto humanizado. Participei de grupos de gestantes e pós-parto, foi onde conheci a outra Roberta da Luminascer, a Roberta Urbano. Com nossos bebês no colo, conversando sobre puerpério, nunca imaginamos que hoje estaríamos trabalhando juntas.

E foi o Murilo que me mostrou o que faltava na fotografia. Murilo me ensinou que a fotografia tinha que ter emoção e contar uma história, pois era assim que eu queria as fotos dele, pois eu percebia que ele estava crescendo muito rápido, e não queria esquecer aquelas dobrinhas, aquele sorrisinho banguela, aquela boquinha cheio de leite materno. Foi ai que comecei a fotografar pessoas, a contar histórias e levar emoção. Comecei em casa, depois amigos começaram a me chamar para fotografar suas festas, depois amigos dos amigos. Buscava sempre uma fotografia natural, sem muito direcionamento, sem muita poses, queria sorrisos verdadeiros, abraços sinceros. Meu foco era na naturalidade dos acontecimentos.
Até que um dia uma querida amiga me chamou para fotografar o parto dela. Foi uma montanha russa de emoção: ansiedade, nervosismo, medo, êxtase. Foi maravilhoso ver um bebê nascer, e registrar esse momento. A energia do nascimento é algo muito forte. Mas não estava pronta para mergulhar na fotografia de parto, pois Murilo estava pequeno e eu só queria estar com ele.
Em 2017 nasceu Valentina e com ela, meus conflitos internos, principalmente ciências x artes afloraram. Continuava como cientista, fazendo pesquisa em um laboratório, mas a câmera estava sempre comigo, fotografar os colegas de trabalho, suas alegrias e frustrações perante a pesquisa. Vendo o fim do meu projeto de pesquisa, comecei a procurar novos rumos para minha vida. Por que não fotografar partos? História e emoções intensas, de forma natural, sem interferência! Por que não? Falta uma parceira, pois com minha profissão e dois filhos, sozinha eu não encarava. Foi então, uma conversa despretensiosa, um bate papo de amigas que surgiu uma sementinha de projeto. Estávamos excitadas na primeira “reunião de negócios”, querendo abraçar o mundo e nos abraçar por encontrarmos na outra a complementação do que queríamos ser. Planejamos, trocamos, conjecturamos cenários, decidimos o nome, o propósito. Precisávamos despejar no projeto, desde o começo, toda nossa essência, que embora construídas paralelamente, eram tão parecidas. Duas Robertas. Duas biólogas. Duas fotógrafas. Duas parturientes. Duas humanizadas. Duas mães de casal. Duas mulheres. Donas de si. Donas da Luminascer.
Deixa a gente te iluminar!