Nasceu Cecília, Nascemos Nós

Relato de parto da Mãe – Edlaine

E chegou o querer…Ser Mãe e agora?!                                                                                       

Quando decidi que queria ser mãe? Não sei, simplesmente aconteceu. Quando percebi só enxergava bebes e mulheres gravidas hehe. Em julho de 2015 parei de tomar pílula, mas foi só em outubro que meu amado marido concordou que também queria ser pai! No mês seguinte fiz xixi no palitinho e …… MOOOOR TO GRAVIDAAAAAAA!!!! Depois de confirmar com o exame de sangue ele acreditou ..homens! Enfim … fiquei imensamente feliz e não via a hora da barriga crescer!!

Em busca de informações e profissionais                                               

Com 16 semanas fizemos um ultra e descobrimos o sexo do nosso bebe, era menina, nossa Cecilia! Até então não pensava em como ir ser o parto, nem onde, nem nada … pensava só que não queria passar por cirurgia. Conversando com uma amiga que tinha tido bebe recente, ela me falou sobre um encontro de gestantes de tinha participado junto com o marido e que tinha valido muito a pena. E pela primeira vez parei pra pensar no que seria uma doula e conheci o Inanna. Nossas quartas não seriam mais as mesmas. Desde o primeiro encontro recebemos muitas informações, ricas informações e saímos cheios de expectativas para o próximo (nenhuma delas foi frustrada) !! Um dos encontros era sobre tipos de parto e depois de ouvirmos sobre os tipos decidi que queria ter um parto domiciliar. Mas essa decisão foi baseada no medo que eu sentia de hospital. De quem sabe pegar um plantonista que não tivesse de bom humor, uma enfermeira que não estava muito a fim de ver um bebe nascer, de ser tratada como mais uma, de ter que passar por um procedimento de rotina .. enfim, eu estava com medo! Chamamos a Gabi (parteiras do sul) pra uma conversa e quando ela saiu concordamos em fazer o parto em casa.

As Dúvidas e escolhas…                                                                               

Maaaas, as coisas não deram muito certo. Tinha a questão do dinheiro, dos pais não aceitarem, das pessoas que eram contra … desistimos! Quando a hora chegasse íamos para o hospital com as doulas (Fran e Marcia) e com a Vera que faria o registro fotográfico. Continuei estudando os tipos de parto, vendo vídeos, assistindo lindos nascimentos tanto no hospital quanto em casa, e algo despertou dentro de mim. Foi um desejo sincero, ardente, inesperado! Nós tínhamos aprendido que o parto ideal era aquele em que a mulher se sentisse segura! Olhei pra mim casa, fui até nosso quarto e naquela hora eu sabia que era ali que minha filha tinha que nascer. Era na minha casa que eu me sentia segura!! Conversamos mais uma vez, fizemos cálculos hehe e meu marido me ouviu, sentiu o que eu senti e concordou que seria assim. Chamamos novamente a Gabi e dessa vez a coisa andou! Nossa equipe estava montada. Criamos afinidade com todas. As parteiras Fernanda, Gabi e Josi, a fotografa fantasma kkk Vera e as doulas Fran e Marcia. Sabíamos que era no meio delas, com todo amor do mundo (pq é dessa forma que elas trabalham) que nossa Cecilia nasceria. Nossos pais aceitaram mas não creio que concordaram, mas era uma decisão que cabia a nós.

As Fases do parto…Chegou 37…38 semanas…pródromos…                                                             

Então os dias passaram (devagar pra quem espera) e as 37 semanas chegaram! Pensa na felicidade. Tudo estava pronto pra receber nosso presente!!! A ansiedade bateu e eu chorava, ria, chorava de novo, faxinava a casa, dormia, dormia mais um pouco e… só tinha passado um dia kkkkkk … na semana seguinte, madrugada de quinta-feira, 38 semanas, levantei pela milésima vez pra ir ao banheiro e pra minha surpresa tampão tava indo embora!! Choqueeeeee!! Eu já estava sentindo bastante cólica e depois de muitas mensagens no grupo do whats “Parto Nanny” e prints do contraction timer a Fe diz “Nanny, acho que vamos pra ai” Oi? Mas jááááá? Kkkkk …. mas os intervalos das contrações foram sendo maiores até que cessaram. Pensa se consegui dormir né!!! Amanheceu, marido foi trabalhar, vida normal! O tampão continuou saindo e por precaução pedi pra minha prima irma amiga passar no mercado, casooooo alguma coisa acontecesse. Naquele dia resolvi deixar a ansiedade um pouquinho de lado e curti minha barriga, acariciei, conversei, dormi abraçada … sem saber era o momento de me despedir dela. La por volta das 17h, passando aspirador na casa (ansiedade tinha voltado) senti algo quentinho descendo kkkk chama a Josi … “ó, pode ser a bolsa ou xixi, vamos observar” ok … levantei e tive certeza que era a bolsa hehehe .. corri pra o banheiro e fiquei la, aguinha descendo….quando achava que tinha parado, começava de novo. Liguei pra o Filipe e pedi pra que ele viesse pra casa, pq não conseguia sair do banheiro. Avisei no grupo, peguei a bola, coloquei embaixo do chuveiro e fiquei ali… até que elas começaram!

O Trabalho de parto a fase latente e ativa…entrega…confiança…aceitação…     

Contrações!!! Fran chegou primeiro … e naquele momento eu tive medo! Medo do desconhecido! Mas ao mesmo tempo fui inundada por uma felicidade sem tamanho!!!! Vocalizava, aaaaaaaaaaaaaahhhhh, ooooohhhhhh, uuhhhh hehehe… a Fran ali comigo, logo em seguida chega a Fernanda e elas começam a preparar as coisas. E gente, coisaradaaaa… hehe! Com a ajuda delas, entrei na partolandia! Fran me disse pra sentir as contrações, pra não ter medo delas, a dor fazia parte do pacote … fiz isso!! Senti doer, sentia até passar, respirava…. descansava… e la vem outra!!! Meu marido o tempo todo do meu lado, olhava pra ele e me sentia segura! Olhava ao meu redor e sabia que tava tudo bem …. e me entregava!

E a fase mais que esperada o expulsivo – chegou o momento de nascer e renascer como mãe, pai e filho…o amor incondicional!                                                                                                                   

Parecia que já tinham se passado muuuuitas horas, até que a vontade de fazer força chegou. E eu fiz …. depois de algum tempo decidi que queria ir pra piscina. Fui amparada, massageada, ouvida, amada! Olhava pra elas e elas estavam tranquilas, sorridentes, só esperando… e la vem contração… resolvi sentar no banquinho e senti minha filha vindo! Respirei, respirei, ela foi saindo, auge da dor, mas ela tava vindo, o motivo de tudo … Ahhh como esperei!!! Via vídeos e chorava nessa parte, agora era real, era comigo … Filipe tava ali, esperando, fez carinho nela …. “amor, ela ta aqui” ele disse… e num instante ela tava nos meus braços!!!!!! Linda, rosinha … meu amor! Foi magico, intenso, maravilhoso, compensador!!!! Enquanto escrevo lembro e quero tudo de novo! Abracei ela, amei ela, olhava e não acreditava…meu bebe nasceu da forma que imaginávamos, do jeito que queríamos. Poderia ficar horas falando desse momento hehe resumo em AMOR! Depois de muito trabalho por parte da equipe, muita doação, muitas fotos hehe la estávamos, nossa família!

detalhe; Placenta nasceu, mamãe tomou banho quentinho, enquanto isso papai cortava cordão e não tirava os olhos da pequena. Voltei pra o quarto, amamentei, sorri, placenta virou suco e depois virou capsula …alias, delicia de sucoo… e depois de pesar, medir, vestir … depois de estarmos acomodados, elas se foram … ficamos nós! Dormimos …

Agradecimentos

E foi essa nossa historia, contada rapidamente, pq se fosse dar todos os detalhes poderia escrever um livro hehehe

Agradeço a Deus por nos amar! Por ter nos deixado viver esse momento, por se fazer presente!

Agradeço a minha prima pelo rapidez com que veio, pelo auxilio, pela sopinha, pela organização e amor com que fez tudo.

Agradeço as doulas, por nos ensinarem e nos tranquilizarem. Por todo o carinho e dedicação. Pelos olhares de encorajamento!

Agradeço as Parteiras do Sul pelo empenho, seriedade e profissionalismo! Pelo atendimento impecável …pela simplicidade!

Agradeço a Vera, pelo maravilhoso registro. Por não ter perdido nenhum momento, pela dedicação e amor colocados em cada imagem.

Agradeço ao meu marido, pela compreensão, parceria e amor! Por ter pensando no que era melhor pra mim, por sempre me ter como prioridade. Por ser um pai tão presente desde o inicio!

Que venham os próximos!

 

Relato de parto do Pai – Filipi

E agora? vou Ser Pai…

O que me vem à mente quando penso no nascimento da minha filha é a Josi (Parteiras do Sul) perguntando “E aí papai, vai querer segurar? Já está na hora, dilatação está completa” na hora pensei ” Nossa, que rápido, mas quero sim”

A busca de informações e decisões

Foi no dia 17/06/2016 que decidimos de vez fazer o parto em casa. Antes nossa ideia era ir para o hospital ter com o plantonista. Com aquela dúvida, por não saber quem seria. Mas, era o que tínhamos, seria mais barato (e na minha cabeça quanto mais barato melhor). Hoje, vivendo o que vivi, tenho certeza que o melhor era que minha esposa tivesse o parto que ela se sentisse segura. E dai você pergunta, mudou de ideia por quê? Estudamos!

detalhe: Ouvi o que minha esposa queria, o que elas precisavam!

O tempo passou e chegou o dia mais que esperado…aquela ligação no trabalho!

Voltando para o dia 21/07/16. Minha esposa me liga as 16:30h avisando que a bolsa havia rompido e as meninas já estavam a caminho. Naquela hora eu estava na empresa em que trabalho sozinho e precisava terminar algo importante. Mas ela estava tranquila, então assim que terminei fui embora. Quando cheguei, ela estava no chuveiro, sentada na bola já vocalizando! Era inverno, frio, ligamos os aquecedores, e começamos a esquentar a água para encher a piscina.

Pausa para…o reconhecimento pela escolha da equipe

Ah, preciso fazer uma pausa e falar sobre a equipe que nos atendeu! Agradeço a Deus por ter nos mandado pessoas que amam pessoas e não dinheiro! Que amam o seu trabalho, que se doam. Agradeço por elas terem feito parte do nascimento da minha filha.

detalhe: Dinheiro não compra o amor que elas tem pelo que fazem. Nos amaram desde o pré-natal, mesmo com nossas várias perguntas muitas vezes sem nexo algum (rs). Tenho uma admiração e um amor muito grande por cada uma delas

O trabalho de parto concentração, conexão, o expulsivo…o nascer e renascer como Pai…

Estava tudo dentro dos conformes, silêncio total no quarto, só ouvíamos minha esposa vocalizando, meia luz…

Perto das 19h a Josi fez a pergunta, assustado com o tempo curto (ouvi que geralmente os partos demoravam), me posicionei.

As doulas nos deram espaço e fiquei dentro da piscina com minha esposa, quando a Cecília desceu eu estava na frente, vendo tudo, foi mágico! Não imaginava que seria do jeito que foi, incrível, emocionante, lindo, só Deus pra fazer algo tão perfeito!

Antes minha filha estava só um pouquinho para fora, via os cabelinhos, fiz carinho, conversamos com ela. Tudo estava em câmera lenta! Eu pelo menos me senti assim, olhava para os lados e ouvia as enfermeiras dizendo que estava tudo lindo, que estávamos nascendo.

Então Cecília foi descendo bem devagar, de repente senti que seria a hora e minha filha caiu nos meus braços. Peguei, entreguei para a mãe, as duas choraram e eu… Também!

Fomos para cama e minha filha ja teve o primeiro contato visual com a mãe. A equipe esperou o nascimento da placenta e durante o tempo que minha esposa foi tomar banho, eu cortei o cordão! Depois de todo protocolo ter sido feito, nossa casa estar organizada, fomos dormir.

Não mais eu e minha esposa, agora minha família! Foi lindo e não só por ter sido em casa, mas por todo respeito, carinho e amor que Cecília veio ao mundo.

Vi minha esposa parindo de forma natural, sendo respeitada, amada, segura e protegida.

Deixe seu comentário